Postagem em destaque

Receba nossos Vídeos de Meditações Diárias.(Um vídeo por Dia)

Envie uma mensagem para nosso Whatsapp para ser adicionado em uma de nossas listas de transmissão, para receber todos os dias um ví...

Meditação diária, Quarta, 7 de agosto


Os Negócios do Pai


Por que é que Me procuráveis? Não sabeis que Me convém tratar dos negócios de Meu Pai? Lucas 2:49

Os pais de Jesus anualmente visitavam Jerusalém, de acordo com a lei judaica. Seu filho, Jesus, na ocasião com doze anos de idade, acompanhou-os. No retorno para casa, depois de já ter se passado um dia de viagem, angustiaram-se ao sentirem a falta de Jesus. [...] Apressaram-se de volta a Jerusalém, com o coração pesado de aflição. [...]


Enquanto os pais de Cristo estavam a Sua procura, viram grandes multidões afluindo para o templo e, ao entrarem ali, a voz familiar de seu Filho atraiu-lhes a atenção. Não conseguiram avistá-Lo por causa da multidão, mas sabiam que não estavam equivocados, pois não havia outra voz como aquela, marcada com uma melodia solene. Os pais observaram a cena atônitos. Seu Filho, em meio aos nobres e cultos doutores e escribas, dava evidência de Seu conhecimento superior por Suas ponderadas perguntas e respostas. Seus pais se sentiram satisfeitos em vê-Lo ser assim honrado. Mas a mãe não pôde se esquecer da aflição e da angústia que sofreu por causa de Sua tardança em Jerusalém e, de maneira reprovadora, inquiriu a razão de Ele ter agido assim, relatando seus temores e sofrimento por Sua causa.

Jesus disse: “Por que é que Me procuráveis?” Essa pergunta direta deveria levá-los a ver que se estivessem atentos ao seu dever, não teriam deixado Jerusalém sem o Filho. Então acrescentou: “Não sabeis que Me convém tratar dos negócios de Meu Pai?” Ao passo que descuidaram da responsabilidade a eles confiada, Jesus estava ocupado com os negócios de Seu Pai. Maria sabia que Cristo não Se referira ao Seu pai terreno, José, mas a Jeová. [...]

Ele preferiu voltar de Jerusalém sozinho com Seus pais, pois, estando retirados, Seu pai e Sua mãe teriam mais tempo para refletir e meditar sobre as profecias que se referiam a Seus futuros sofrimentos e morte. [...] Depois da celebração da Páscoa, eles O procuraram aflitos por três dias. Quando fosse sacrificado pelos pecados do mundo, ficaria deles separado, ficaria perdido, por três dias. Mas depois disso, a eles Se revelaria e seria encontrado, e sua fé nEle seria colocada como o Redentor da raça caída, o advogado perante o Pai em seu favor (Review and Herald, 31 de dezembro de 1872).

Fonte: CPB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...