Postagem em destaque

Receba nossos Vídeos de Meditações Diárias.(Um vídeo por Dia)

Envie uma mensagem para nosso Whatsapp para ser adicionado em uma de nossas listas de transmissão, para receber todos os dias um ví...

o Matinal (Diária), Sexta, 14 de junho

Princípios nos Negócios

Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria um homem em troca de sua alma? Marcos 8:36, 37

É o dever dos seguidores de Cristo reconhecer sua dependência de Deus em tudo e seguir os princípios de sua fé em todas as relações da vida, incluindo as transações comerciais. De outra forma, não podem representar corretamente a religião de Cristo. Devem ser honestos com Deus, como também com o próximo. Pode alguém ser desonesto com Deus? Leia a resposta do profeta: “Roubará o homem a Deus? Todavia, vós Me roubais” (Ml 3:8).

Os dízimos e as ofertas pertencem a Deus. Os recursos em nossa posse devem ser considerados como um depósito sagrado, usados para a glória do Doador. A abnegação é a condição da salvação. A caridade que não visa ao próprio interesse é fruto do amor desinteressado que caracterizou a vida de nosso Redentor. Os que por amor a Cristo negam-se a si mesmos encontrarão a felicidade que o homem egoísta em vão procura; mas, aquele que faz de seus prazeres e interesses egoístas o principal objetivo da vida perderá a felicidade que julga desfrutar.

O apóstolo Paulo tinha algo a dizer a respeito da doação sistemática: “Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade” (1Co 16:1, 2).
A regra de doação de Deus, conforme expressa em Sua Palavra, não exclui ninguém, e a ninguém impõe fortes pressões. Ela atinge a pessoa pobre, mas de forma suave; e não é realmente sentida pelo rico. [...]

Cristo disse: “Onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6:21). Se acumularmos tesouro no Céu, nosso coração estará no Céu; se nosso tesouro estiver na Terra, nosso coração estará nas coisas da Terra, preocupando-se com perdas e ansioso a respeito de lucros e riquezas. [...]

Como na contabilidade do santuário a oferta é avaliada de acordo com o espírito de amor e sacrifício que a motivou, as promessas certamente serão cumpridas da mesma forma com o pobre liberal que tem pouco a ofertar, mas oferta do pouco liberalmente, como também com o rico que oferta generosamente de sua abundância. [...]

O reino de Cristo deve ser superior a qualquer outro interesse. […] [Deus] alimenta os pardais e veste os lírios; será Ele menos atento às necessidades de Seus filhos? (Bible Echo [Austrália], 9 de dezembro de 1895).

Fonte: CPB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...