Postagem em destaque

Receba nossos Vídeos de Meditações Diárias.

Entre em nosso Grupo do Whatsapp, pelo link:  https://chat.whatsapp.com/0Lx8KHZ7XBfCdHAu9BRMMn Nota: Este grupo é exclusivo para en...

Sermão: Zaqueu, O Publicano


                         ZAQUEU, O PUBLICANO

                                          S. LUC. 19:1-10

Resultado de imagem para zaqueu o publicanoI. INTRODUÇÃO:

01. O HOMEM DE JERICÓ – Jesus vinha da Judéia e dirigia-Se a Jerusalém. Israel comemoraria mais uma páscoa. O itinerário de Jesus previa sua passagem por Jericó.
Jericó é um lindo oásis no deserto da Judéia. Suas fontes milenares garantem à região um verde de grande extensão. É uma cidade construída à sombra de centenas tamareiras. Embora não sendo uma cidade grande, contudo era densamente povoada e um grande centro comercial. Uma fluorescente cidade, uma cidade separada para os sacerdotes, muitos sacerdotes moravam ali.

Havia em Jericó muitos homens, homens bons, intelectuais, de projeções e importantes. Lucas, porém, diz que este homem chamava Zaqueu. Zaqueu! Mas, que Zaqueu?

02. O PUBLICANO – Um exturcionista, explorador, sugador do povo. Um inimigo de Israel. Alguém detestado, rejeitado, mal visto pelo povo, votado ao desprezo público. Um egoísta, mesquinho, impiedoso, que pensava apenas em si. Alguém insensível às necessidades, aos sofrimentos às misérias humana.  Alguém ganancioso, desonesto, que exercia uma profissão por rapinagem. O que lhe faltava no tamanho, lhe faltava dobrado no caráter.
Zaqueu não era apenas um publicano, um cobrador de impostos, era o maioral, o chefe geral dos publicanos. Portanto, devia tê-los superados em astucia e sagacidade. Sua riqueza era prêmio da injustiça, do suborno, da exploração e extorção.
Zaqueu era alguém que tinha vendido sua moral, sua honra por dinheiro. Havia enriquecido roubando onde e quando podia. Alguém que a sociedade de Jericó respeitava e suportava pelo status,  autoridade, e poder. Era muito rico! Porém infeliz.

II.ZAQUEU PROCUROU VER QUEM ERA JESUS-V3


01.  ZAQUEU  QUERIA VER  A JESUS  –  Zaqueu  apesar  de  rico,
culto, poderoso e influente funcionário da alfândega, não passava de um homem solitário, frustado e vazio. Sentia-se alvo dos olhares. Era constantemente criticado e aquilo lhe doía. Era um homem infeliz
Zaqueu ouviu os relatos a respeito de Jesus. Pois, por toda parte a fama de Jesus era evidente. Uns  diziam que Jesus era um profeta, outros que ressuscitava os mortos, que curava os leprosos, os coxos, os paralíticos e devolvia a vista aos cegos. Outros que multiplicara dois pães e cinco peixes e alimentara uma multidão. Que Ele comia com os publicanos e conversava com prostitutas.
Zaqueu procurou ver quem era Jesus. Procurou ver com seus próprios olhos, ouvir com seus próprios ouvidos, interpretar e julgar com o seu próprio cérebro, quem era Jesus. Zaqueu não se conformou só com as informações, não se satisfez com as contraditórias recolhidas. Decidiu pesquisar, procurar, ouvir, arguir e ver quem era Jesus.
Procurava ver quem era Jesus, mas não podia.  Qual era a dificuldade? Sua pequena estatura? Seu peso? Sua raça? Sua posição social? Sua vida cheia de erros? Sua grande instrução? Não, isso nunca foi problema para alguém chegar a Jesus.
Era a multidão que lhe impedia. Que tristeza!  A multidão que acompanha a Jesus impedia alguém de ver, de conhecer e de saber quem era Jesus. O segundo motivo era a sua baixa estatura. Zaqueu era de pequena estatura. Até posso imaginar a aventura de Zaqueu, tentando furar a multidão que se comprimia, se acotovelando. Zaqueu recebeu muitas cotoveladas e até alguns chutes. Até imagino ele subindo em alguma pedra pelo caminho, mas nada disso o ajudou a ter um experiência pessoal com Jesus.”

02. ZAQUEU ESTAVA DISPOSTO A FAZER QUALQUER COISA – V.4 – Até mesmo subir numa árvores. Zaqueu passou adiante, desceu a rua correndo como um louco, tentou abrir caminho, subiu numa pedra, esticou o pescoço, contudo não conseguia ver Jesus, de repente viu à frente uma árvore, um sicômoro. E Zaqueu subiu na árvore. Agora, lá estava Zaqueu enganchado num galho de uma árvore.
Eu não creio que Zaqueu tenha pensado muito. Zaqueu era um homem de poder, de status, um funcionário público, uma grande autoridade em Jericó, o secretário da fazenda de Jericó.
O que iriam pensar? E seus inimigos? E seus colegas, que diriam? Será que isto não poderia abalar sua liderança? Sua autoridade profissional? Ele, Zaqueu, o chefe dos publicanos, uma autoridade, trepado numa árvore, como um moleque de rua? Poderia ser ridicularizado? Alguém poderia aproveitar-se da situação para o ridicularizar? Porém, Zaqueu não estava preocupado com isto! Não se importava, Jesus havia de passar por ali e essa era a sua oportunidade.
E lá estava Zaqueu no alto da árvore, enganchado, suspenso num galho, um galho especial, numa posição  bem escondida, camuflado entre os galhos e  folhas, esperando sua grande oportunidade  para ver quem era Jesus.
Ah! Agora, Ele, veria com os seus próprios olhos quem era Jesus. A multidão rumorosa se aproxima, ele houve ruídos, vozes, lá vem os discípulos, Zaqueu divisa: “Ali está Pedro, o pescador de Cafarnaum, seu irmão André, também Tiago e João, os filhos de Zebedeu. Ali está Mateus, um ex-colega, cobrador de impostos. Ali está Bartimeu, sim, é ele mesmo. Ele vem vindo, vem descendo a rua, Ele está chegando, Ele chegou aqui, está debaixo da figueira, Ele parou! Zaqueu até prendeu a respiração para não ser notado.”

02. ZAQUEU, DESCE DEPREÇA – VS.5,6 – Quando Jesus disse: Zaqueu! Ele quase caiu da árvore. Não sabia que Jesus o conhecia. Como Jesus sabia o seu nome? Eles nunca haviam-se encontrado antes!? É comigo, Senhor? Não está equivocado? Eu sou Zaqueu um publicano, um ladrão, extorquiador, um homem injusto.
Zaqueu não perdeu a oportunidade! Desceu depressa, recebeu Jesus com alegria e caminhou com Cristo entre a multidão em direção à sua residência. A multidão abriu ala, e Zaqueu caminhou de mãos dadas com Jesus, como quem sonha, deslumbrado, bailando de felicidade.
Posso imaginar como foi aquele cortejo até à casa de Zaqueu. Alguns estavam alegres, outros tristes, outros revoltados, alguns estupefatos, outros surpresos, e quem sabe, muitos na expectativa dos próximos acontecimentos. O que iria ocorrer? Seria Zaqueu sensibilizado por Cristo Jesus? Seria ele um discípulo de Cristo?
Nas proximidades e dentro da casa de Zaqueu havia uma grande multidão. Sem dúvida, Jesus  foi criticado pelos fariseus, escribas e doutores da lei: “Como pode ser este o messias se recebe pecadores e come com eles?”(V.7). Outros ouviam com atenção as palavras de Zaqueu.
Zaqueu e a família, não entendiam como Jesus podia ser tão diferente dos líderes religiosos de sua época. Afinal, será que ainda havia esperança para ele? Poderia ainda gozar o favor do Senhor?
Impressionado, movido e constrangido pelo amor de Jesus, que em nenhum momento o acusou, o criticou quanto à sua falta de honestidade. Zaqueu resolveu fazer pública a sua profissão de fé. Tivera um encontro com Jesus, agora precisava falar, testemunhar, contar, dizer o que estava sentindo.

III.CONCLUSÃO- ZAQUEU FAZ A SUA PROFISSÃO DE FÉ– VS.8,9

01.  DECIDE REPARAR OS ERROS COMETIDOS -  “Senhor, eu
 vou restituir o roubo quadruplicado. E o que sobrar para mim, estou disposto a repartir com os pobres de Jericó. De hoje em diante darei metade de minha riqueza aos pobres.” Os sacerdotes e os escribas estavam se remexendo. Todo mundo estava desassossegado. Ninguém conseguia dizer nada! Nunca tinham ouvido falar de algo semelhante.
Que diferença do homem anterior! Que mudança opera Jesus no coração daqueles que aceitam sua graça. Aquele que que antes só pensava em como tirar o máximo possível de seus semelhantes, agora resolve entregar o máximo possível aos seus semelhantes. Isso somente é possível pela atuação direta do Espírito Santo.
Quando Cristo habita em nós há: Entrega, arrependimento, confissão, conversão, fidelidade, desejo de cumprir a vontade de Deus. Desaparece o egoísmo, o orgulho, a presunção, a exaltação e a ganância.
EGW.DTN,556 – “Não é genuíno nenhum arrependimento que não opere reforma. A justiça de Cristo não é uma capa para encobrir pecados não confessados e não abandonados; é um princípio de vida que transforma o caráter e rege a conduta. Santidade é integridade para com Deus; é a inteira entrega da alma e da vida para habitação dos princípios do Céu.” 
Essa genuína manifestação de fé e arrependimento de Zaqueu, arrancaram dos lábios de Jesus palavras de muita alegria.“Hoje, houve salvação nesta casa, pois que também este é filho de Abraão”(V.9).

02.   HOJE,  HOUVE  SALVAÇÃO  NESTA  CASA –  Naquele  dia
havia milhares de pessoas junto a Jesus. Centenas de homens e mulheres que lutavam um contra o outro por um lugar perto de Jesus. Cada um sentindo-se com mais  direito do que o outro, e de repente Jesus olha para quem nada espera, para quem se sentia indigno, insignificante, perdido, e o chama pelo nome: “Zaqueu.”
Para Jesus não existem multidões, existem pessoas. Para Ele você não é apenas um ordem de produção ou um número na estatística. Você é gente. Ele se preocupa com você, com seus sentimentos, com seus sonhos, alegrias e tristezas. Ele chora com sua dor e Se alegra com o seu sorriso. Você é tão importante para Ele que um dia Ele deixou tudo e veio a este mundo para salvá-lo. Ele sabe seu nome, onde você mora, conhece suas ansiedades, sabe que você pode estar tentando ser uma pessoa  difícil ao apelo divino. Mas, sabe que na realidade você é alguém solitário, triste e infeliz, que precisa dEle como ser humano.
“É comigo Senhor?” Pergunta você. “Sim, é com você, ..., é com você mesmo.” “Mas, senhor! Eu fumo, eu bebo, uso drogas, prostituo,  tenho uma vida toda irregular, eu sou digno?” Não importa, é com você. É por você que Eu vim, que Eu morri, Eu amo você, não pelo que você faz ou deixa de fazer, mas pelo que você é: “Um ser humano, um pecador, apenas isso.” “Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o perdido” (V.10).
ILUSTRAR – “Nunca terei palavras para agradecer a Deus, porque um dia, entre bilhões de seres humanos, o Senhor Jesus Se deteve no caminho da vida e olhou para mim. Não me achou em cima de uma árvore, não. Achou-me atrás de uma mesa, em frente a um quadro-negro, com uma régua e um giz na mão. E Jesus, com Sua voz mansa disse: “Filho, desce dessa árvore da vaidade, do materialismo, da presunção, da incredulidade, do pecado. Quero ficar com você, quero que Me conheça de verdade. Quero fazer de você um pregador, um pastor, para Minha glória.”
Para ver a Jesus é preciso subir. Mas, para recebê-LO é preciso descer.

 

IV.APÊLO–VOCÊ JÁ DECIDIU VER QUEM É JESUS

 

01.  SABER QUEM É JESUS?  Já aceitou o Seu convite?  Já ouviu  a
Sua voz? Já hospedou-O em seu coração, em seu lar? Fez dEle o seu Salvador? O seu amigo?
Ele o está procurando, não importa onde você está, onde se escondeu, ou para onde fugiu.
Um dia a voz de Deus o alcançará e o chamará pelo seu nome. Talvez isso esteja acontecendo neste momento, enquanto você ouve esta mensagem.
Você está tremendo em cima do sicômoro da vida? Sente-se rejeitado, triste, frustrado, infeliz? Sente que é um pecador?

02. OUÇA A VOZ DE JESUS - “Filho, Eu amo você. Desça daí. Eu quero ficar com você, quero entrar em sua vida, em seu lar.
Jesus passa pela Jericó deste mundo. É hora da oportunidade, é hora de ver, de saber, quem Jesus.
Veja-O, ouça-O, receba-O em sua vida, hospede-O em seu coração, em seu lar. E certamente você poderá dizer: “Jesus, Tu és a Minha Vida.”



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...