Postagem em destaque

Receba nossos Vídeos de Meditações Diárias.(Um vídeo por Dia)

Envie uma mensagem para nosso Whatsapp para ser adicionado em uma de nossas listas de transmissão, para receber todos os dias um ví...

Meditação Diária, Sábado, 17 de agosto

Rejeitado

Veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam. João 1:11

No primeiro advento de Cristo, que ocorreu em aparente obscuridade, os anjos do Céu quase não puderam ser impedidos de manifestar a glória deles para abrilhantar o nascimento do Filho de Deus. As gloriosas manifestações do Céu não foram restringidas por completo. O evento maravilhoso não ocorreu sem algumas confirmações de seu caráter divino. Esse nascimento, para o qual houve tão pouca preparação na Terra, foi celebrado nas cortes celestiais com louvor e ações de graças a favor dos pecadores. [...]

Ele, que veio em carne humana e Se submeteu a uma vida de humilhação, era a Majestade do Céu, o Príncipe da Vida. No entanto, os sábios homens da Terra, os príncipes e governantes e até mesmo Sua nação não O receberam. Não O reconheceram como o tão esperado Messias. A despeito dos milagres poderosos que Ele operara, a despeito de ter devolvido a vista ao cego e trazido o morto de volta à vida, Cristo sofreu ódio e maus-­tratos do povo que veio abençoar. O povo O considerava pecador e O acusava 
de expulsar espíritos maus por meio do poder do príncipe das trevas. As circunstâncias de Seu nascimento eram misteriosas e comentadas pelos líderes. Eles O acusavam de ter nascido em pecado. O Príncipe do Céu foi insultado por causa da mente corrompida e da incredulidade perversa e profana dos homens. Como é maligna a incredulidade! Ela foi originada com o primeiro grande apóstata. A rejeição do Messias por parte de judeus mostra a terrível extensão a que a incredulidade pode conduzir todos os que trilham esse caminho. [...]

Os dirigentes de Israel afirmavam compreender as profecias, mas haviam aceitado falsas ideias com respeito à maneira da vinda de Cristo. [...]

Aquele mesmo que morreu pelos pecadores há de julgá-los no último dia, pois o Pai confiou ao Filho “todo o julgamento, [...] e Lhe deu autoridade para julgar, porque é o Filho do homem” (Jo 5:22, 27).

Que dia será esse, quando os que rejeitaram a Cristo contemplarem Aquele a quem seus pecados traspassaram! Saberão então que Ele lhes ofereceria o Céu inteiro se tivessem se colocado ao Seu lado como filhos obedientes. Saberão que Ele pagou um preço infinito por sua redenção, mas que não aceitaram a libertação da escravidão torturante do pecado. Escolheram permanecer sob a perversa bandeira da rebelião até o fim do tempo de misericórdia (Review and Herald, 5 de setembro de 1899).



Fonte: CPB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...