Postagem em destaque

Estudos Bíblicos em vídeo para Whatsapp. Prontos para Baixar!

Estudos Bíblicos em vídeo com tamanho e formato adequados para compartilhamento via Whatsapp. Clique em cada Estudo para ser direciona ...

Meditação Diária, quinta 15 de agosto

Como Cristo Venceu

Não temos Sumo Sacerdote que não possa compadecer-Se das nossas fraquezas; antes, foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Hebreus 4:15

Logo antes do início do ministério de Cristo, Ele recebeu o batismo das mãos de João. Ao sair da água, prostrou-Se às margens do Jordão e elevou ao Pai uma oração nunca antes ouvida pelo Céu. [...] Os céus se abriram, e um pombo, semelhante na aparência ao ouro polido, pairou sobre Jesus. Dos lábios do Deus Infinito, ouviram-se as palavras: “Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo” (Mt 3:17).

A resposta visível à oração do Filho de Deus é de profundo significado para nós. [...]

Todos podem encontrar descanso e paz ao elevar suas preces a Deus em nome de Seu amado Filho. Assim como os céus se abriram à oração de Cristo, eles se abrirão para nossas orações. [...]

Do Jordão, foi Jesus conduzido ao deserto da tentação. “E, depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. Então, o tentador, aproximando-se, Lhe disse: Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães” (Mt 4:2, 3). [...]

Adão falhara quanto ao apetite, e Cristo precisava vencer nesse sentido. O poder que repousou sobre Ele veio diretamente do Pai, e não deveria exercê-lo em benefício próprio. [...] Ele enfrentou e repeliu o inimigo na força de um “Assim diz o Senhor”. “Não só de pão viverá o homem”, disse Ele, “mas de toda palavra que procede da boca de Deus” (Mt 4:4). [...]

A experiência de Cristo é para nosso benefício. Seu exemplo em vencer o apetite indica como podem ser vitoriosos aqueles que querem ser Seus seguidores.

Cristo estava sofrendo como os membros da família humana sofrem sob a tentação, mas não era a vontade de Deus que Ele exercesse Seu poder divino em benefício próprio. Se Ele não fosse nosso representante, a inocência de Cristo o teria poupado de toda essa angústia. Foi, porém, devido à Sua inocência que Ele sentiu tão intensamente os ataques de Satanás. Todo o sofrimento que constitui o resultado do pecado foi lançado no coração do inocente Filho de Deus. Satanás estava ferindo o calcanhar de Cristo, mas toda aflição suportada por Cristo, todo pesar, toda ansiedade estava cumprindo o grande plano da redenção do ser humano. Todo golpe desferido pelo inimigo se voltava contra ele mesmo. Cristo estava esmagando a cabeça da serpente (Youth’s Instructor, 21 de dezembro de 1899).

Fonte: CPB

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...