Postagem em destaque

Estudos Bíblicos em vídeo para Whatsapp. Prontos para Baixar!

Estudos Bíblicos em vídeo com tamanho e formato adequados para compartilhamento via Whatsapp. Clique em cada Estudo para ser direciona ...

Meditação Diária, 31-08-13

Obra Completa


Eu Te glorifiquei na Terra, consumando a obra que Me confiaste para fazer. João 17:4

Quando Cristo expirou na cruz, bradando em grande voz: “Está consumado!” (Jo 19:30), Sua obra foi completada. O caminho havia sido aberto; o véu, rasgado em dois. A humanidade podia se aproximar de Deus sem ofertas sacrificais, sem os serviços de um sacerdote. O próprio Cristo era sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque. O Céu era o lar dEle. Ele viera a este mundo para revelar o Pai. A obra no campo de Sua humilhação e do conflito estava feita. Ele ascendeu aos Céus e está para sempre entronizado à destra de Deus.

A vida de Cristo neste mundo havia sido de trabalho árduo, uma vida ocupada e diligente. Ele ressuscitou dentre os mortos e por quarenta dias permaneceu entre os discípulos, instruindo-os em preparação para Sua partida. Agora estava pronto para as despedidas. Havia demonstrado a realidade de um Salvador vivo. Os discípulos não precisavam mais relacioná-­Lo com o sepulcro de José. Podiam pensar nEle como glorificado perante o universo celestial. [...]

Todo o Céu esperou com ansiosa expectativa pelo fim do período de permanência do Filho de Deus em um mundo todo cauterizado e desfigurado pela maldição. Em proporção com a humilhação e o sofrimento de Cristo está Sua exaltação. Ele só poderia Se tornar o Salvador e o Redentor sendo primeiro o Sacrifício. [...]

Cristo veio à Terra como Deus em forma humana. Ele ascendeu ao Céu como Rei dos santos. Sua ascensão foi digna de Seu exaltado caráter. Ele ascendeu do Monte das Oliveiras em uma nuvem de anjos, que triunfalmente O acompanharam à Cidade de Deus. Não ascendeu em Seu próprio interesse, mas como o Redentor da nova aliança com os filhos e filhas que nEle creem, e são assim considerados por meio da fé em Seu nome. Partiu como o Poderoso na batalha, um conquistador, levando cativo o cativeiro, em meio a aclamações de louvor e cânticos celestiais. [...]

Que contraste foi a recepção de Cristo em Seu retorno ao Céu com Sua recepção na Terra! No Céu, tudo era lealdade. Não havia tristeza nem sofrimento a recebê-Lo. [...]

Chegara o tempo de o Universo celestial receber o Rei (Signs of the Times, 16 de agosto de 1899).


Fonte: CPB
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...